3 de dezembro de 2010

Que Brasil é esse ?


O Brasil atualmente é famoso no mundo principalmente pela violência nas grandes cidades. Sempre você liga a televisão e vê a violência, e agora saiu o filme Tropa de Elite 2, com armas, tiros, policiais corruptos e mortes, mais de 1 milhão de pessoas já assistiram o filme. Para que gastar dinheiro à toa, é só ligar a televisão e ver a mesma coisa, só que sentado no seu sofá, vendo sua TV e melhor vê o sangue jorrar sem ter risco de ser atingido.
Na maior cidade do Brasil, São Paulo, tem até um bairro em homenagem as drogas, a “Cracolândia”. Se isso virar moda vai dar o que falar. Imagine, você chega e fala pra um amigo que mora na Rua Cocaína, 171.
No dia 31 de outubro teve a eleição do futuro presidente do Brasil, adivinha qual foi uma das principais propostas dos candidatos, acabar com a violência. Acho difícil isso acontecer, na época de Getúlio Vargas a violência não era tanto assim. Será que não seria o certo implantar a ditadura no Brasil novamente??? To brincando, é melhor um país livre, mas o ruim é que ele é violento. Do jeito que o Brasil tá, na próxima eleição ira se candidatar Lula contra Capitão Nascimento e se o Lula bobear perde pra Capitão. Herói Nacional atual... Se o Tiririca que não sabe ler nem escrever foi eleito, porque um personagem linha dura de filme não pode? Pelo menos ele vai botar a ordem no Congresso Nacional, e quem for contra vai ter que “pedir pra sair” ou se não vai entrar na bala.


Autor:Walter Colhasso Manca nº:39  Série:1ºcol.B

Rio de Janeiro


Rio de Janeiro, cidade maravilhosa, praias lindas, Corcovado, Pão de açúcar, mulheres cariocas. A parte boa da cidade é essa, mas também tem a parte ruim, o tráfico de drogas, favelas, policiais corruptos. Hoje no Rio é mais fácil ver um inocente morrer por causa de uma bala perdida, que acontece com policiais trocando tiros com traficantes.
Por causa do tráfico, menores são mortos, porque não pagam a droga.
Na PM (Polícia Militar) do Rio de Janeiro há muitos policiais corruptos que pegam as armas apreendidas, e vendem para os traficantes e donos de favelas: agora por causa da roupa do mundo de 2014, o Governo do Rio vai fazer o maior esquema tático para combater os ladrões de roubo ou alguns atentados a alguma seleção.
Os traficantes pegam as armas que os policiais vendem e depois eles roubam essa delegacia outras armas.
Para combater o tráfico nas favelas governo do Rio fez o BOPE (Batalhão de Operações Especiais) policiais treinados para enfrentar combates em favelas.
O Rio de Janeiro e o mais belo estado por causa das belas praias, se perguntarem para estrangeiros: Qual lugar você queria passar as férias de 10 pessoas 8 dizem Rio de Janeiro, mas muitos não sabem que tem bandidos que roubam ao ar livre. Rio, cidade maravilhosa, como acabar com o tráfico, não sei, mas muitos inocentes vão morrer, por causa dos traficantes...


Autor:Sandro Carvalho  nº:31  Série:1ºcol.B

Eterna Lembrança


Vinte e seis de julho, ano 2007, o tempo estava meio nublado, nem sol nem chuva, dia tal que eu jamais me esquecerei.
Estava eu inocentemente soltando pipa embora sendo uma menina, nunca me interessei por boneca. Então eu que nem sempre brincava sozinha estava ali sem ninguém do meu lado, quando me lembrei do que dizia a minha mãe:
-Aconteça o que acontecer, nunca desça naquele lugar.
Lugar esse que era a mesma vila onde eu morava, mas em certas casas havia pessoas que faziam coisas ilícitas. De repente de uma hora para outra o vento mudou, ficou muito forte, e por ironia do destino me puxou exatamente para esse lugar, onde tinha pessoas que jamais tinha imaginado conhecer. Elas sentiram-se atraídas, pela minha simpatia e pelo meu jeito positivo de ver a vida. Entre tantas pessoas que eu conheci uma me chamou mais a atenção: um rapaz na faixa de 15 anos de idade mais ou menos, eu que na época tinha 11 ou 12 fiquei maravilhada com ele. Seu nome: Roberto. Era muito meigo e muito gentil. Nos olhos dele eu enxergava revolta, mas ao mesmo tempo ternura. Naquele mesmo dia pouco antes de me levarem embora, conversei bastante com Roberto e jogamos bola lá mesmo. Não demorou muito pra eu chegar à conclusão que tudo que minha mãe dizia não passava de um pretexto para que não acontecesse comigo o mesmo que um dia aconteceu com meu irmão, e tudo que ela me dizia era por medo de me perder. Mas eu nunca me importei.
O tempo foi passando e eu fui me ligando cada vez mais ao Roberto e ao mundo dele. Do modo como usava gírias e de como me fazia rir com facilidade. Se bem que não era muito difícil me fazer rir... Naquele tempo, eu era muito nova... 3 anos de diferença de idade. Ele me dizia que gostava muito de mim, mas que me esperaria crescer, e foi exatamente isso que aconteceu, passaram-se dois anos, e em todo esse tempo a gente ficou juntos, não como namorados, mas como amigos, irmãos. Mas queríamos muito mais que isso, aprendi coisas com ele, ensinei também, vivi momentos que de alguma forma fizeram grandes mudanças na minha vida.
Quando finalmente consegui que ele ficasse comigo, minha família o descriminava e de forma nenhuma o aceitava, e por esse motivo passei a mentir fugir, passar noites em claro, tudo isso só por ele... E assim foi Roberto completou 18 anos e foi pego pela polícia após um mês. O tempo se encarregou de me separar daquele homem que vou amar eternamente.
Hoje, quando penso que tudo começou por causa de uma pipa que o vento levou para um lugar que pra mim, um dia foi proibido, fico a pensar no destino... Se foi ele que nos une... porque nos separa?

Autora:Patrícia Pedroso de Lima  nº:28  Série:1col.B

Meu Lugar


O sol já se pôs, é tarde, e o cansaço tomou conta de mim.
É como se o mundo tivesse parado para que eu pudesse observá-lo.
Pai descansando no sofá, mãe fazendo o jantar, maninha mexendo no pc e eu aqui escrevendo minha crônica.
Olho pela janela e o que se vê são apenas pontinhos de luz por toda a cidade. Fico imaginando o que se passa em cada lar. Mas logo desisto, vivemos em uma diversidade muito grande, impossível se saber ao certo.
Como em um estalar de dedos o mundo “volta ao normal”. Começo então, a relembrar sobre os melhores momentos da minha vida, e logo me vem o mais recente: dia 10 de setembro de 2010, HSBC Brasil, São Paulo. Gravação do 2º DVD da Banda Rosa de Saron, a melhor que conheci em toda minha vida, noite inesquecível, sentimentos inexplicáveis.
Paro de escrever, pego o celular e começo a assistir os vídeos desse mesmo dia.
Agora com o coração “renovado”, desligo o celular, pega a caneta e o caderno, termino minha crônica, guardo tudo, apago a luz e volto para o meu lugar preferido... minha cama.

Autora:Mônica Cristine Travassos  nº:25  Série:1ºcol.B

Lembranças


Sentado no banco do parque vejo as crianças brincando e me lembro da minha infância, quando eu brincava com meus amigos de bolinha de gude, soltava pipa, pique - esconde.
Tem tempo que não volta jamais! Quantas lembranças... Me recordo de uma vez que eu e meus amigos invadimos uma construção a noite para brincar de pique – esconde.
Naquela noite eu e meus amigos ficamos brincando até tarde da noite, ma vizinha ficou brava com o barulho que a gente tava fazendo e gritou que ia chamar a polícia.
Daí foi uma correria só, cada um indo pra sua casa, a mulher nem chamou a polícia, mas falo que ia chamar só pra nos assustar.E nós nunca mais brincamos naquela construção...oh...lembranças.

Autor:Luiz Henrique Nagy Antunes nº:20  Série:1ºcol.B